Nina deu uma entrevista ao site Collider, onde falou sobre The Final Girls, sua experiência com The Vampire Diaries e deixou no ar a possibilidade de estar em um novo projeto além de “Arrivals“, confira a entrevista traduzida pela nossa equipe.

The Final Girls é uma não convencional comédia de terror centrada em Max, uma estudante de ensino médio, que é misteriosamente transportada com seus amigos para o filme de terror dos anos 80, para o Camp Bloodbath, que a mãe de Max estrelou. Presos dentro do filme, Max se reúne com sua mãe, quem ela perdeu na vida real e junto com seus amigos, eles tem que sobreviver ao assassino psicopata, assim achando uma forma de voltar para casa. Durante essa entrevista exclusiva por telefone com o Collider, a atriz Nina Dobrev (que interpreta a garota malvada com um coração Vicki) falou sobre como ela se tornou parte de The Final Girls, a visão do diretor, o que ela pensa que mais vai surpreender as pessoas sobre o filme, quanta diversão o elenco teve e quais filmes ela gostaria de participar e interagir com os personagens. Também falou sobre como é importante o balanço entre a vida de trabalho e a pessoal, suas atuais metas, onde ela pode estar indo e o que passar seis anos em The Vampire Diaries significou para ela.

 

Collider: Como aconteceu? Eles te convidaram para o filme?

Nina Dobrev: Me enviaram o script junto com alguns curtas do diretor. Ele tinha feito alguns curtas e ele é um jovem cineasta tão talentoso, com uma ótima visão, perspectiva única e uma fantástica abordagem. Assim que vi os curtas e li o script eu fui capaz de visualizar como o filme seria e eu estava bem animada com isso. Ele é jovem e ambicioso. Ele realmente queria fazer um ótimo filme e eu queria ser parte dele. Eu gostei da Vicki porque ela é a garota malvada, mas ela é incompreendida e no final aprendemos a amar e entendê-la. Eu nunca tive essa oportunidade antes. E geralmente a garota malvada é simplesmente malvada, então eu estava animada por achar uma que tinha coração e um pouco de tristeza. Ela realmente passa por algo que é compreensível e eu acho que foi bem divertido. O script era divertido e único. É desafiante e interessante pra mim trabalhar em projetos que são únicos e não convencionais. Estou tão entediada de ver o mesmo material reciclado.

 Esse filme é bem diferente e provavelmente soou totalmente doido no papel. Quando você leu o script, você imediatamente entendeu como seria ou teve alguma dúvida?

Por isso que foi bom eles terem me mandado os curtas do Todd antes e eu imploro a você que vá ao site dele e veja porque eles estão disponíveis para serem assistidos de graça. Quando você assiste um chamado “Ali’s Fair” e você vê como ele fez, você pode visualizar como o filme vai ser. Se eu não tivesse visto, eu teria ficado “Espera, o que? Eu não entendi.” Mas eu assisti o curta, então eu imediatamente entendi. E claro, eu tive milhões de perguntas quando cheguei lá, o que sempre tem.

 Por ser uma mistura de tons e abordagem para a história, é um desafio descrever esse filme para as pessoas, especialmente sem dar spoilers. O que você acha que mais vai surpreender quem decidir assistir?

Acho que o que mais vai surpreender no filme, é que seja lá o que eles esperem que vá acontecer, não vai. Acho que vão se surpreender em como nada é da forma que eles esperavam. Tentar explicar sobre o que é o filme é um desafio porque muito acontece e são vários gêneros em um, com tantos elementos. Nada é como assistir o filme. Eu acho que é para vários diferentes tipos de pessoas, não importa o que você gosta, tem um pouco de algo que todo mundo gosta na mistura de gêneros.

 Há dois grupos de amigos na história – os que são personagens do filme e os que vão parar dentro do filme. Vocês tiveram tempo para se conhecer, amadurecer essas relações antes de filmar?

Sim, nós tivemos uma semana antes de filmar. Nós ficamos em Baton Rouge na Louisiana, mas não na cidade. Estávamos há 20 milhas do Baton Rouge, nos arredores. Tirando a Subway que fechava as 17:00, a academia na casa que estávamos ficando, que fechava as 22:00, não tinha nada para fazer, então ficávamos conversando o tempo todo. Além disso, nós realmente gostamos bastante um do outro, então nós conversávamos, jogávamos e fazíamos churrasco. Nos tornamos bons amigos e acho que continua dessa forma. Foi muito bom ter aquele tempo junto.

 No filme dentro do filme, há um maníaco assassino. Quando ele estava no set indo atrás de todos, aquilo ficou um pouco assustador ou vocês riam disso?

Bem, ele não ficava sempre com a mascara. O rapaz que estava interpretando Billy era bem doce, tímido e legal, com um rosto bonito. Ele não era intimidador ou assustador, mas ele era bem alto e forte. Você definitivamente precisava olhar pra cima para falar com ele.

Se você pudesse entrar em qualquer filme e interagir com os personagens, tem algum que você gostaria de entrar?

Sim, acho que tem alguns filmes que eu entraria. Tem tantos filmes. Se eu ainda tivesse 15 anos, eu diria “Entrevista com o Vampiro” pelo Brad Pitt, ou “Clube da Luta”, “Troia” pelo mesmo motivo ou qualquer filme do Brad Pitt. Me contrate!

 A única coisa que fica evidente olhando sua vida nas mídias sociais é que você está tendo um tempo para aproveitar, viver a vida e ficar com seus amigos. É algo que é realmente importante pra você, especialmente desde que você saiu de uma série de TV onde você estava trabalhando bastante por anos?

Sim, eu acho que é importante. Eventualmente deve haver um balanço. Pessoas veem os europeus de exemplo como balanço entre trabalho e diversão. Você deveria trabalhar para viver, não viver para trabalhar. Eu definitivamente trabalhei por alguns anos e eu estou aproveitando agora que tenho um tempo livre. Mas na verdade estou voltando a trabalhar. Acho que é importante relaxar e não pensar só em negócios o tempo todo. Você vai olhar pra trás e se arrepender depois, se você não aproveitar sua juventude e disponibilidade para viajar. É algo que te da inspiração para interpretar seus personagens, sua vida e seu desenvolvimento como ser humano.

 Se você está voltando a trabalhar, você já sabe o que estará fazendo em seguida?

Eu sei. Mas não estou autorizada a falar sobre agora.

Você poderia, em algum ponto entrar em outra série de TV, especialmente se for uma minissérie ou fazer participações em alguma?

Isso faz parte do que eu não posso falar sobre.

Você já disse que tem cabeça para negócios, mas objetivos mudam conforme você envelhece. Então nesse ponto da sua vida e carreira, quais são seus objetivos para o trabalho?

Não é uma coisa em particular porque há tantas coisas diferentes que você pensa no dia a dia. Eu amo filmes de época e séries de TV. Eu amo comédia. Ultimamente, eu tenho realmente aproveitado a experiência e as pessoas. É divertido sorrir ao invés de chorar e correr de vampiros e assassinos o tempo todo. Depende do material, do diretor e do elenco. É muito circunstancial, mas é bom ser desafiador. Eu quero continuar evoluindo e continuar sendo inspirada e assustada. Eu sinto como se você não tem medo de algo, você não deveria fazer. Se você está apenas se arrastando pelas coisas, qual é o sentido? Você não está aprendendo.

 Você foi tão boa em The Vampire Diaries e ótima interpretando uma variedade de personagens na série. Como a experiência te mudou como uma atriz?

Foi uma ótima experiência de aprendizado. Eu geralmente digo que foi como um acampamento para atores. Eu tive que fazer de tudo. Tive experiência de vários personagens, fazer efeitos visuais, efeitos práticos, cenas de perigo, ação, comédia e exercitar cada músculo que eu podia no mundo da ação. Eu posso dizer que se você me desse qualquer papel, eu poderia fazer sem problemas. De agora em diante, eu estou pronta para tentar tudo e ter essa oportunidade.

 Em um tempo onde séries não ficam no ar tanto tempo como The Vampire Diaries está, quando você olha para trás, no tempo que você passou na série, o que significa pra você e quais memórias vão ficar com você?

É doido quando você pensa sobre isso. Foi um longo tempo e ótimo. Foram meus anos de formação, eu ganhei experiência com um grupo maravilhoso de pessoas, em uma situação única e em um lugar único. Eu olho pra trás com um sorriso no rosto. Foi um período tão bom da minha vida e eu não podia estar mais agradecida.  Eu sou realmente sortuda por ter todas essas pessoas e toda essa experiência na minha vida.