Nina Dobrev Brasil

Bem-vindos ao Nina Dobrev Brasil sua primeira, maior e melhor fonte brasileira sobre a atriz Nina Dobrev, mais conhecida pelo seu papel na série de TV ‘The Vampire Diaries’ como Elena Gilbert, Amara Petrova e Katherine Pierce. Aqui você encontrará informações sobre seus projetos, canal com vídeos legendados, galeria de fotos, entre outros. O nosso site não é afiliado de maneira alguma com Nina, sua família ou seus representantes. Não somos a Nina e não temos o mínimo contato com a mesma. Todo o conteúdo do site, fotos, informações, vídeos e gráficos pertence ao site, a não ser que seja informado o contrário. Site de fãs para fãs, sem fins lucrativos.

Nina Dobrev vai voltar para o final de “The Vampire Diaries”?

Publicado por na categoria The Vampire Diaries
11.01.2017

Enquanto o retorno de Nina Dobrev para última temporada de “The Vampire Diaries” tenha sido fortemente sugerido no passado, não tem nenhuma confirmação ainda hoje como o show runner entrega na final das filmagens. O presidente da  CW Mark Pedowitz ainda não revela se Dobrev irá reprisar seu papel como Elena Gilbert, mas provocou cautela na turnê de imprensa de inverno da Television Critics Association.

“A melhor maneira que posso responder, ou seja, [os produtores executivos] Julie [Plec], Kevin Williamson, o estúdio e a The CW prometem um fantástico final”, ele disse.

Os episódios de “The Vampire Diaries” que estão sendo filmados atualmente são os  13 e 14 da sua última temporada de 16 episódios.

Durante a turnê de imprensa de verão  da TCA, Pedowitz disse que já havia discussões acontecendo com Dobrev. “Nós adoraríamos ter Nina de volta. Ela foi ótima para The CW. Ela estava cheia de The Vampire Diaries”, disse ele na época. “Espero que ela esteja de volta, mas caso ela não esteja,  Julie tem planejado uma grande series finale [que irá satisfazer os fãs].”

Você acha que Nina Dobrev vai voltar antes de “The Vampire Diaries” terminar?

The Vampire Diaries retorna para episódios finais em 13 de janeiro.

David Anders revela porque Nina Dobrev ligou para ele ás 4 da manhã

Publicado por na categoria The Vampire Diaries
10.12.2016

Com apenas uma temporada restante de The Vampire Diaries, decidimos que era hora de começar a coletar as entradas do diário de todos. Toda semana durante a última temporada, a EW está pedindo para que os envolvidos com o show olhem para trás em um dos seus momentos favoritos da série. Então pegue seus lenços e junte-se a nós nesta viagem por uma pista de memória cheia de vampiros.

Esta semana, David Anders relembra Tio John…

Eu inicialmente fiz  parte porque eu já era amigo de Ian Somerholder e a oportunidade de ir para Atlanta e filmar com meu amigo soou incrível para mim. Então eu me juntei ao show para interpretar com o meu amigo Ian, mas acabou sendo a melhor escolha que já fiz como ator, porque todos eles são meus amigos para a vida e sempre serão. Eu amo todos eles. Foi um prazer absoluto brincar de vampiros com eles.

Quando recebi a notícia de que o tio John iria ser o pai de Elena, isso foi um choque para mim, visto que eu só tenho sete anos mais do que a doce e  amável Nina [Dobrev]. Eles me disseram as notícias e eles eram como, “Faça o que fizer, não diga a Nina sobre isso.” Eu não disse. Eu era um bom rapaz e quando eles finalmente disseram a Nina que isso estava acontecendo, eu me lembro que ela me ligou às quatro da manhã e de alguma forma meu telefone estava ligado e ela estava exatamente como, “O quê? Você é como um cuspe mais velho do que eu, como isso funciona?” E eu estava tipo, “Bem, eu interpreto um cara mais velho, como sempre foi o caso na minha carreira, e você interpreta alguém mais jovem, então eu acho que vai funcionar”. Essa foi uma coisa divertida para se brincar.

E na verdade, o material onde John estava sendo um pai para Elena, foi divertido para mim. Foi interessante porque eu nunca tinha sido um pai em qualquer coisa que eu já tinha feito antes, embora ele não era o pai ideal por qualquer extensão. Mas toda a minha carreira eu interpretei vilões, então isso é meio fácil para mim, então a oportunidade de interpretar algo um pouco diferente, um pouco mais leve foi um grande deleite para mim. Mas mesmo assim eu ainda estava tentando matar seu namorado.

É interessante porque todo mundo odiava meu personagem até que ele se matasse. Foi legal da parte deles dar a este personagem odiado uma morte honrosa. Foi um pouco inesperado. Ele estava finalmente se aceitando como um pai. Ele era dono de sua paternidade.

Eu acho que quando eles me ofereceram o papel, eles disseram que iria ser um arco extenso. Eu gostei de 15 ou 17 episódios ao longo de duas temporadas, o que foi bom para mim. Lembro-me de Paul Sommers, nosso maravilhoso diretor de fotografia, estava dirigindo seu primeiro episódio e ele foi quem me matou. Então esse processo foi preenchido com um monte de desculpas. Mas muitas pessoas morreram nesse episódio. Foi um episódio de morte.

John serviu seu propósito. Eu acho que era hora, embora eu estivesse realmente chateado porque é uma família tão apertada e pela primeira vez na minha vida eu estava agindo com pessoas que tinham a minha mesma idade. Eu não era o rapaz. Era como, “Hey nós somos todos parceiros aqui, cara. Vamos aprender juntos!” Eu estava triste por deixar o show, mas foi divertido enquanto durou.

Eu fiz um lobby com a [showrunner] Julie [Plec] para trazê-lo de volta. Eu estava tipo, “Você não tem que me pagar, apenas me deixe voltar para Atlanta e brincar com todos.” Ela é como, “Tio John não tinha nenhum poder sobrenatural.” Eu estava tipo, “Ele tinha um anel que o trouxe de volta dos mortos, isso é muito sobrenatural!” Ela estava tipo, “Sim, mas isso era apenas joias.” Então eu desisti de voltar ao show. O que temos, 10 episódios? Tudo bem, eu tenho 10 episódios para colocar John de volta na briga.

Kevin Williamson revela a inspiração para Katherine na 1ª temporada

Publicado por na categoria The Vampire Diaries
21.10.2016

O site americano EW está fazendo um grande especial de entrevistas com diretores, produtores e dentre outros da equipe da série de TV americana The Vampire Diaries. A cada semana, uma entrevista será solta em seu site. Nesta sexta-feira, 21/10, o site liberou uma pequena entrevista com o co-produtor da série Kevin Williamson, que conta a sua inspiração de como a personagem Katherine Pierce (Nina Dobrev) iria aparecer na série. Confira abaixo:

Com a temporada final de The Vampire Diaries, decidimos que era hora de começar a recolher  as escritas do diário de todos. Toda semana durante a temporada  final, EW está pedindo as pessoas envolvidas com o show para olhar para trás em um de seus momentos favoritos da série. Então pegue seus lenços e se juntem a nós nesta viagem abaixo de uma pista de memórias cheias de vampiros. Primeiramente o co-criador e produtor executivo, Kevin Williamson.

Só me lembro de quando estávamos em Atlanta, eu estava correndo pela Margaret Mitchell House uma manhã e eu fui para o museu. Eles tinham narrado na parede como Margaret Mitchell escreveu a história de Scarlett O’Hara. Era tudo sobre Scarlett ser uma sobrevivente e foi tudo sobre como “E o Vento Levou” e foi verdadeiramente sobre o norte e o sul e como eles eram misturados pós-guerra, como eles se recuperaram, a reconstrução do sul, e do comércio sobre a tradição. E, finalmente, Scarlett caiu em algum lugar no meio. Ela estava enraizada em seu legado e sua história, mas também era uma sobrevivente e uma oportunista, então ela era uma mistura. Você pode ver porque ela amava Ashley e por que ela amava Rhett. Cada homem representava algo diferente. Rhett era o futuro, foi oportunidade. Então você olha para Ashley, que era amor e paixão e o legado e tradição.

Como eu estava andando através dessa museu, eu pensei, “Há Damon, há Stefan, e há Elena… Não, isso não é Elena. Isso é Katherine. Esta é a história de Katherine. Esta é 1864. Isto é, quando ela os mordeu. Esta não é a nossa história atual; Esta é a história de ontem.” Não, eu comecei a perceber, nós temos que ir para lá. E eu não sou uma pessoa de flashback, nunca, eu sou como, “Julie, temos de contar a história de Katherine, temos que contar a história de onde tudo começou. Temos que voltar e mostrar em flashbacks como Stefan e Damon foram transformados, em seguida, ela vai ter que voltar. “

Estou mais orgulhoso do momento de angústia (no final) da 1ª temporada. Lembro-me de estar sentado no quarto e como a Julie disse, “Não, Damon e Elena tem que se beijar. Isso tem que ser o momento de angústia. Não se lembra de Dawson Creek? Você tem que fazer isso.” E estava como, “Não, eles não podem. Você não pode.” Nós já estavam brigando sobre Elena estar com Damon ou Elena sendo Stefan. Vi isso claramente: Esta é a 1ª temporada. Trata-se de Stefan e Elena. Elena não está naquele lugar ainda onde ela iria querer beijá-lo. Ela não está bêbada; ela não é louca. Ela é nossa heroína; não podemos sacrificar a sua personagem e ter que fazer esse movimento contra Stefan. A menos que – nunca vou me esquecer desse momento na sala dos roteiristas – seja a Katherine.

E então nós começamos a backfilling de toda a história: Como é que vamos chegar lá? Como podemos torná-lo o retorno de Katherine possível? Em seguida, começou a conspirar a coisa toda, onde a tia Jenna a convida a entrar. Há tantas coisas que entraram nisso. Eu queria tanto fazer como aquele suspense final não fosse um, não dois, mas três cliffhangers, mas (Eu queria) tipo, seis. Eu queria que cada linha da história tivesse um cliffhanger: Tyler caído no chão, os paramédicos vendo seu turno olho de lobisomem, então você vira e oh espere, Caroline ficou ferida no acidente de carro e ela desmaia. Anna morre no fogo! Então, é claro, o tio John recebe o dedo cortado, a grande revelação que é Katherine. Nós queríamos que fosse chocante e ele simplesmente se transformou em uma tempestade perfeita de todos trazendo coletivamente seu jogo e eu amo esse último episódio. Em toda a minha carreira, é o meu episódio favorito de momento de angústia.

Foi quando eu senti como se tivéssemos um show que poderia ser bem sucedido e que poderia ser realmente executado. Foi uma belo tempo.

Julie Plec fala sobre possível volta de Nina Dobrev em The Vampire Diaries

Publicado por na categoria The Vampire Diaries
21.10.2016

Julie Plec deu uma entrevista para o site americano ET com exclusividade, sobre uma possível volta de Nina Dobrev ao final da 8ª temporada de The Vampire Diaries, que tem a sua estreia nos Estados Unidos, nesta sexta-feira, 21/10. Confira a matéria traduzida abaixo:

The Vampire Diaries irá estrear a sua oitava e última temporada esta noite, e nós já estamos tendo ataques de pânico com o pensamento de dizer adeus aos nossos mortos-vivos favoritos. Para ajudá-lo a se preparar para o começo do fim, ET chamou a mulher com todas as respostas, criadora e produtora executiva Julie Plec, para obter detalhes exclusivos sobre o final “poderoso” da série, os planos de um crossover com The Originals, e se a ex-estrela Nina Dobrev voltará para uma despedida final. Além disso, teremos um outro casamento em TVD?

ET: Vamos direto para o grande vampiro rosa na sala. Como vão as coisas em ter Nina Dobrev reprisando seu papel como Elena?
Julie Plec: Eu me sinto muito bem com isso! Ela e eu temos conversado e eu sei que ela quer 100% estar lá, e eu, é claro, quero 100% que ela esteja lá e isso se resume a coisas estúpidas, como agenda e horários. Honestamente, vamos colocar desta forma: Eu ficaria arrasada se não der certo, mas eu tenho um pressentimento que as cartas estão ao nosso favor.

ET: Se Nina voltar, quão animada você está para ver a visão que você teve durante todo esse tempo tomar vida no final da série?
Julie Plec:
(Risos) Oh, eu estou muito animada. Ficamos com pequenas dicas e teases de seu rosto durante toda a temporada. As memórias de Damon desempenham um papel importante na temporada, e eu estava assistindo uma cena ontem e sendo capaz de ver o rosto dela trouxe de volta tanta emoção e nostalgia e doçura. É agradável tê-la na narrativa da maneira que ela é.

Sétima temporada de The Vampire Diaries tem final surpreendente

Publicado por na categoria Noticias, The Vampire Diaries
14.05.2016

Foi ao ar na última sexta-feira, 13/5, o último episódio da sétima temporada de The Vampire Diaries. Como todos já sabem, Nina saiu da série, porém continua na mesma. Nina surpreendeu os seus fãs (que gravou o áudio em segredo), ao Elena aparecer somente em voz no último capítulo. Confira o vídeo abaixo:


Nina fala sobre “The Final Girls” e sua carreira em entrevista

13.10.2015

Nina deu uma entrevista ao site Collider, onde falou sobre The Final Girls, sua experiência com The Vampire Diaries e deixou no ar a possibilidade de estar em um novo projeto além de “Arrivals“, confira a entrevista traduzida pela nossa equipe.

The Final Girls é uma não convencional comédia de terror centrada em Max, uma estudante de ensino médio, que é misteriosamente transportada com seus amigos para o filme de terror dos anos 80, para o Camp Bloodbath, que a mãe de Max estrelou. Presos dentro do filme, Max se reúne com sua mãe, quem ela perdeu na vida real e junto com seus amigos, eles tem que sobreviver ao assassino psicopata, assim achando uma forma de voltar para casa. Durante essa entrevista exclusiva por telefone com o Collider, a atriz Nina Dobrev (que interpreta a garota malvada com um coração Vicki) falou sobre como ela se tornou parte de The Final Girls, a visão do diretor, o que ela pensa que mais vai surpreender as pessoas sobre o filme, quanta diversão o elenco teve e quais filmes ela gostaria de participar e interagir com os personagens. Também falou sobre como é importante o balanço entre a vida de trabalho e a pessoal, suas atuais metas, onde ela pode estar indo e o que passar seis anos em The Vampire Diaries significou para ela.

 

Collider: Como aconteceu? Eles te convidaram para o filme?

Nina Dobrev: Me enviaram o script junto com alguns curtas do diretor. Ele tinha feito alguns curtas e ele é um jovem cineasta tão talentoso, com uma ótima visão, perspectiva única e uma fantástica abordagem. Assim que vi os curtas e li o script eu fui capaz de visualizar como o filme seria e eu estava bem animada com isso. Ele é jovem e ambicioso. Ele realmente queria fazer um ótimo filme e eu queria ser parte dele. Eu gostei da Vicki porque ela é a garota malvada, mas ela é incompreendida e no final aprendemos a amar e entendê-la. Eu nunca tive essa oportunidade antes. E geralmente a garota malvada é simplesmente malvada, então eu estava animada por achar uma que tinha coração e um pouco de tristeza. Ela realmente passa por algo que é compreensível e eu acho que foi bem divertido. O script era divertido e único. É desafiante e interessante pra mim trabalhar em projetos que são únicos e não convencionais. Estou tão entediada de ver o mesmo material reciclado.

 Esse filme é bem diferente e provavelmente soou totalmente doido no papel. Quando você leu o script, você imediatamente entendeu como seria ou teve alguma dúvida?

Por isso que foi bom eles terem me mandado os curtas do Todd antes e eu imploro a você que vá ao site dele e veja porque eles estão disponíveis para serem assistidos de graça. Quando você assiste um chamado “Ali’s Fair” e você vê como ele fez, você pode visualizar como o filme vai ser. Se eu não tivesse visto, eu teria ficado “Espera, o que? Eu não entendi.” Mas eu assisti o curta, então eu imediatamente entendi. E claro, eu tive milhões de perguntas quando cheguei lá, o que sempre tem.

 Por ser uma mistura de tons e abordagem para a história, é um desafio descrever esse filme para as pessoas, especialmente sem dar spoilers. O que você acha que mais vai surpreender quem decidir assistir?

Acho que o que mais vai surpreender no filme, é que seja lá o que eles esperem que vá acontecer, não vai. Acho que vão se surpreender em como nada é da forma que eles esperavam. Tentar explicar sobre o que é o filme é um desafio porque muito acontece e são vários gêneros em um, com tantos elementos. Nada é como assistir o filme. Eu acho que é para vários diferentes tipos de pessoas, não importa o que você gosta, tem um pouco de algo que todo mundo gosta na mistura de gêneros.

 Há dois grupos de amigos na história – os que são personagens do filme e os que vão parar dentro do filme. Vocês tiveram tempo para se conhecer, amadurecer essas relações antes de filmar?

Sim, nós tivemos uma semana antes de filmar. Nós ficamos em Baton Rouge na Louisiana, mas não na cidade. Estávamos há 20 milhas do Baton Rouge, nos arredores. Tirando a Subway que fechava as 17:00, a academia na casa que estávamos ficando, que fechava as 22:00, não tinha nada para fazer, então ficávamos conversando o tempo todo. Além disso, nós realmente gostamos bastante um do outro, então nós conversávamos, jogávamos e fazíamos churrasco. Nos tornamos bons amigos e acho que continua dessa forma. Foi muito bom ter aquele tempo junto.

 No filme dentro do filme, há um maníaco assassino. Quando ele estava no set indo atrás de todos, aquilo ficou um pouco assustador ou vocês riam disso?

Bem, ele não ficava sempre com a mascara. O rapaz que estava interpretando Billy era bem doce, tímido e legal, com um rosto bonito. Ele não era intimidador ou assustador, mas ele era bem alto e forte. Você definitivamente precisava olhar pra cima para falar com ele.

Se você pudesse entrar em qualquer filme e interagir com os personagens, tem algum que você gostaria de entrar?

Sim, acho que tem alguns filmes que eu entraria. Tem tantos filmes. Se eu ainda tivesse 15 anos, eu diria “Entrevista com o Vampiro” pelo Brad Pitt, ou “Clube da Luta”, “Troia” pelo mesmo motivo ou qualquer filme do Brad Pitt. Me contrate!

 A única coisa que fica evidente olhando sua vida nas mídias sociais é que você está tendo um tempo para aproveitar, viver a vida e ficar com seus amigos. É algo que é realmente importante pra você, especialmente desde que você saiu de uma série de TV onde você estava trabalhando bastante por anos?

Sim, eu acho que é importante. Eventualmente deve haver um balanço. Pessoas veem os europeus de exemplo como balanço entre trabalho e diversão. Você deveria trabalhar para viver, não viver para trabalhar. Eu definitivamente trabalhei por alguns anos e eu estou aproveitando agora que tenho um tempo livre. Mas na verdade estou voltando a trabalhar. Acho que é importante relaxar e não pensar só em negócios o tempo todo. Você vai olhar pra trás e se arrepender depois, se você não aproveitar sua juventude e disponibilidade para viajar. É algo que te da inspiração para interpretar seus personagens, sua vida e seu desenvolvimento como ser humano.

 Se você está voltando a trabalhar, você já sabe o que estará fazendo em seguida?

Eu sei. Mas não estou autorizada a falar sobre agora.

Você poderia, em algum ponto entrar em outra série de TV, especialmente se for uma minissérie ou fazer participações em alguma?

Isso faz parte do que eu não posso falar sobre.

Você já disse que tem cabeça para negócios, mas objetivos mudam conforme você envelhece. Então nesse ponto da sua vida e carreira, quais são seus objetivos para o trabalho?

Não é uma coisa em particular porque há tantas coisas diferentes que você pensa no dia a dia. Eu amo filmes de época e séries de TV. Eu amo comédia. Ultimamente, eu tenho realmente aproveitado a experiência e as pessoas. É divertido sorrir ao invés de chorar e correr de vampiros e assassinos o tempo todo. Depende do material, do diretor e do elenco. É muito circunstancial, mas é bom ser desafiador. Eu quero continuar evoluindo e continuar sendo inspirada e assustada. Eu sinto como se você não tem medo de algo, você não deveria fazer. Se você está apenas se arrastando pelas coisas, qual é o sentido? Você não está aprendendo.

 Você foi tão boa em The Vampire Diaries e ótima interpretando uma variedade de personagens na série. Como a experiência te mudou como uma atriz?

Foi uma ótima experiência de aprendizado. Eu geralmente digo que foi como um acampamento para atores. Eu tive que fazer de tudo. Tive experiência de vários personagens, fazer efeitos visuais, efeitos práticos, cenas de perigo, ação, comédia e exercitar cada músculo que eu podia no mundo da ação. Eu posso dizer que se você me desse qualquer papel, eu poderia fazer sem problemas. De agora em diante, eu estou pronta para tentar tudo e ter essa oportunidade.

 Em um tempo onde séries não ficam no ar tanto tempo como The Vampire Diaries está, quando você olha para trás, no tempo que você passou na série, o que significa pra você e quais memórias vão ficar com você?

É doido quando você pensa sobre isso. Foi um longo tempo e ótimo. Foram meus anos de formação, eu ganhei experiência com um grupo maravilhoso de pessoas, em uma situação única e em um lugar único. Eu olho pra trás com um sorriso no rosto. Foi um período tão bom da minha vida e eu não podia estar mais agradecida.  Eu sou realmente sortuda por ter todas essas pessoas e toda essa experiência na minha vida.